LESÕES DO MANGUITO ROTADOR

Na anatomia humana, o manguito rotador é um grupo de músculos e seus tendões que age para estabilizar o ombro mantendo o contato da cabeça umeral de encontro a glenóide, principalmente no movimento de elevação do braço. É formado por quatro músculos: o supra-espinhal, infra-espinhal, redondo menor e subescapular.


Figura 1



Estes músculos se comparados ao peitoral maior e ao deltóide não têm a mesma dimensão, mas desempenham um papel fundamental nos movimentos do ombro e cintura escapular. Estes músculos devem possuir não apenas força suficiente, mas também resistência muscular significativa equilibrando as forças para funcionar de forma adequada para a elevação do braço.

O trabalho do manguito rotador é essencial especialmente em atividades repetidas de suspensão acima da cabeça, como arremessar e nadar, citando algumas práticas esportivas.

É muito freqüente estas atividades serem realizadas com técnica deficiente, com fadiga muscular ou com o aquecimento e condicionamento inadequados, e o grupo muscular do manguito rotador, principalmente o supra-espinhal, acaba não conseguindo estabilizar dinamicamente a cabeça do úmero na cavidade glenóide, originando outros problemas, como tendinite e fricção do manguito rotador dentro do espaço subacromial.

Em 75% de casos de dor no ombro, a principal causa é o tendão do supraespinhal. A lesão do supra-espinhal ocorre geralmente por movimentos repetidos, violentos ou acima da cabeça ou mesmo causado por degeneração.

Hoje acredita-se que sua etiologia seja multifatorial. Um fator associado com muita frequência é o impacto do manguito de encontro com o arco coracoacromial (esporão no acrômio).

O achado clínico mais frequente é dor e incapacidade funcional do membro superior de intensidades variadas. Apesar do que possa parecer essa dor é mais frequente no lado de fora do braço (face lateral) e com piora noturna.

As lesões desses tendões podem se apresentar de várias formas podendo ser parciais ou totais (rompendo todo o tendão).

O tratamento deve ser individualizado para cada caso cabendo a um ortopedista um diagnóstico correto e o tratamento.

Uma grande parte dessas lesões há necessidade de tratamento cirúrgico e hoje com a artroscopia do ombro esse tratamento é bastante eficaz propiciando bons resultados.







Procure um médico para o diagnóstico e tratamento de qualquer condição relacionada com esses temas só este profissional é habilitado para diagnostica-lo e prescrever um tratamento adequado.